terça-feira, 22 de agosto de 2017

O pesadelo da normalidade

Voltar ao normal quando a nossa vida foi dilacerada é um dos maiores desafios que pudemos enfrentar. 
Além da consciência plena que nunca nada será igual, a necessidade de viver e seguir em frente é vital para não me afogar na mágoa. Mas é difícil, tão difícil. 

As trivialidades da vida, que sempre me apaixonaram por darem um brilho especial à dificuldade que muitas vezes temos para continuar, não passam disso. Trivialidades, cinzentas e ocas, sem interesse e substancia. 
Tudo parece muito pequeno vazio, face ao sofrimento dilacerante que oculta os meus dias. 

Por isto, estou calada. Por isto, não tenho feito nenhum post no blogue e as poucas publicações nas redes são distantes e também elas, por vezes, cinzentas. 

O pequenas vontades não foi criado para ser triste. Foi criado para eu partilhar as minhas vontades mais brilhantes, algumas mais intensas, mas sempre com um discurso leve e descomprometido da seriedade da vida, uma extensão da minha visão. A vida é séria mas se a olharmos de uma forma divertida e a relativizarmos, tudo se torna mais fácil.

Hoje, depois de quase três meses mergulhada num mundo sem cor ou sentido, começo a voltar a mim. Não ultrapassei, acho que jamais o conseguirei fazer. Há momentos de profundo pesar e raiva. Dói. Demais. 
Mas hoje já consigo ver o que vem depois, consigo ouvir o discurso que tantas vezes me deu onde sempre disse que a vida é para ser vivida alegremente, mesmo nos maus momentos e que o meu sorriso era uma das suas maiores alegrias.

Segunda-feira tudo vai voltar ao normal no blogue. Looks da semana, séries e livros, dúvidas, moda e beleza. 
Sinto que tenho de me esforçar a voltar a fazer aquilo que me traz um sorriso, aquilo que faz brilhar a vida. Preciso disso para voltar a encontrar uma felicidade, diferente, mais ainda assim, felicidade. 

Quero agradecer a todas as mensagens, e-mails e comentários. Vocês são as melhores.




11 comentários:

  1. Não sei muito bem o que te dizer porque sei que não vai mudar a tua dor e que às vezes ainda piora. Fico muito feliz por estares de volta e espero que aos poucos as coisas se comecem a recompor...
    Se poder ajudar nalguma coisa aqui estarei. Beijinhos :)

    ResponderExcluir
  2. Aos poucos, no ritmo que o teu coração precisar, vais recuperar pedaços de ti. Alguns vais perdê-los para sempre - é inevitável - mas encontrarás novos pontos de força. Aos poucos. Sem pressas. Cá estaremos para te abraçar, com as nossas palavras. Muita força querida.

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz por voltares e por, aos poucos, voltares a viver a vida com "normalidade". Uma perda profunda marca-nos a vida toda, mas reaprendemos a viver :)

    Beijinho

    ResponderExcluir
  4. Que bom saber que estás de volta, tinha saudades tuas! Desejo-te muita, muita força linda

    ResponderExcluir
  5. Claro que é bom saber que vais voltar.
    Mas é claro que todos percebemos também pelo que estás a passar.

    Acho que é uma coisa que só tu poderás decidir. Dá tempo ao tempo. Já perdi várias pessoas e é mesmo o tempo =/

    Beijocas

    ResponderExcluir
  6. Muita força! É um momento terrível na vida de uma pessoa. Mas com o tempo e o amor do resto da família e dos amigos, se consegue voltar à normalidade.
    Um beijinho grande*
    Novo blogue! Vinte e Muitos

    ResponderExcluir
  7. Espero que tudo melhore por aí rapidamente.

    ResponderExcluir
  8. Quando cheguei hoje ao teu post não sabia do que se tratava. Andei para baixo e senti uma pequena dor no coração. Lamento de forma profunda a tua perda, não imagino a tua dor e a vida cinzenta que tens vivido. Muita força deste lado para ti, se precisares de algo é só apitares. O que é bom nesta blogosfera, feita de conhecidos mas maioritariamente de desconhecidos é que estamos cá uns para os outros! Força e um abraço apertado!

    ResponderExcluir
  9. Da mesma forma que a Rititi menciona, não percebi do que se tratava até ler o post anterior. Muita força!

    ResponderExcluir